22 2772-2858

Av. Rui Barbosa, 270, Centro, Macaé-RJ

/acim.macae

/acimmacae

  • Benefícios da ACIM para o seu negócio

ASSOCIATIVISMO: UMA PRÁTICA DE AUXÍLIO AO MICROEMPREENDEDOR

Pense rapidamente e responda a seguinte pergunta: Se você criar uma escala com percentuais de 0 a 100%, qual a porcentagem de chances que você atribuiria para um micro e pequeno empresário vencer e sobreviver à concorrência com as Mega Corporações? Se você é um micro ou pequeno empresário, ou um empreendedor que pretende montar o seu próprio negócio, eu lhe convido para conhecer um pouco mais sobre algo que pode melhorar muito os seus resultados e consequentemente, aumentar a sua competitividade nesse mercado tão complexo. Não há nenhuma mágica nisso em que estou afirmando, apenas uma questão de mudança de cultura e uma visão direcionada para um novo modelo de gestão conhecido como Associativismo! Você já ouviu algo sobre esse assunto?

Por definição, o associativismo pode ser entendido como sendo, qualquer iniciativa formal ou informal que reúna um grupo de pessoas ou empresas para representar e defender os interesses dos associados e estimular a melhoria técnica, profissional e social dos associados, do ponto de vista empresarial. O associativismo é a atuação coletiva das empresas almejando o caminho para a sobrevivência dos negócios e a geração de vantagens competitivas. Para entendermos melhor essa questão, pense no trabalho das formigas. Como grupo, são fortes, cooperam entre si e são muito produtivas. Mas sozinhas, tornam-se impotentes e vulneráveis, sendo facilmente aniquiladas pelos seus inimigos.

Esse comportamento social, também pode ser estendido para os grupos sociais, incluindo as organizações, tendo como princípio a sua formação social. Isso nos mostra que a ideia de associações não é uma coisa recente, e que a cooperação em grupo promove resultados favoráveis à vida, que de outra forma, ou seja, individualmente, as chances de sobrevivência são mínimas, para não dizer impossível de se conseguir.

O associativismo pode ser representado por diferentes formas de agrupamento de empresas. Cooperativas, associações de classe, associações por setor (Comercial, Industrial, Agrícola.), redes setoriais, arranjos produtivos locais (APL) ou (Cluster) e consórcios. E é a partir da consciência e da cultura empresarial, junto com a necessidade de atuação conjunta e de cooperação entre empresas, com o objetivo de se tornar mais eficiente e competitiva que surge a lógica de atuação em redes empresariais. De fato, a consolidação desse espírito associativo principalmente entre a micro e pequena empresa, reforça em grande escala a confiança de que a cooperação entre as empresas pode gerar bons resultados, e todos podem ser beneficiados potencializando seus resultados e desfrutando ganhos obtidos através da própria cooperação entre si. A formação de redes entre empresas surge como uma prática atual que pretende garantir a sobrevivência e a competitividade principalmente da micro e pequena empresa.

Fonte: Blog Educa Virtual

ACIM © 2016 · Todos os direitos reservados.

Site desenvolvido pela Cavaleiros Comunicação - www.cavaleiros.com.br